quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

The Sceptic Brutal e técnico

A The Sceptic é uma banda de Death Metal formada em 2002 em Caxias do Sul/RS. Após algumas alterações na formação, em 2005 a banda lançou seu primeiro registro o EP “Psychopatological”, e em 2012 a banda lança seu primeiro full-lenght “Chaotic”. Recentemente a banda lançou um videoclipe e já trabalha em novas composições para o próximo lançamento.

HMAN: Como surgiu a The Sceptic? Mesmo com mais de 10 anos de existência a banda possui poucos registros lançados, qual o principal fator que influenciou nessa parte?
Lander: A The Sceptic surgiu em 2002 com uma formação diferente da atual e com o intuito de fazer um Death Metal técnico e brutal, o resultado desta primeira formação foi o álbum Psychopathological, após isto a banda tomou outro direcionamento, porém sempre com dificuldades, entre adaptação e saída de integrantes, entre outros empecilhos como tempo disponível para ensaio e produção de CD, já que não somos uma banda que vive da música, temos outros empregos, uma triste realidade do Metal, mesmo assim com bravura, gravamos o álbum Chaotic e 2012 com a formação em trio.

HMAN: Em 2005 a The Sceptic lançou seu primeiro registro o EP “Psychopatological”, como foi compor e produzir este trabalho? De modo geral como você avalia este lançamento?
Lander: Este trabalho foi nosso primeiro registro de estúdio e buscamos fazê-lo da melhor forma possível, tínhamos outras influências e outras ideias inicialmente, é um trabalho de qualidade porém não é o que melhor descreve a The Sceptic nos dias atuais.

HMAN: Sete anos depois do lançamento do EP, em 2012 sai “Chaotic” o primeiro full da banda, como você ve este disco? O que ele representa para a The Sceptic?
Lander: O álbum Chaotic representa a atual fase da The Sceptic, com um som mais maduro e de acordo com o que nosso trio procura fazer, um som brutal e técnico, com letras agressivas e novas influências direcionando para uma evolução sonora e lírica.

HMAN: Recentemente vocês disponibilizaram um vídeo para a faixa “Evolutionary Phenomenon”, que faz parte do disco lançado em 2012. Por que essa faixa e por que agora?
Lander: Esta faixa representa bem o álbum e foi uma das faixas que mais nos agradou, como dependemos de verba própria para produção de álbuns e tudo mais demorou para ser lançado, mesmo assim gostamos do resultado final do videoclipe.

HMAN: Quanto a um novo lançamento, já existem composições encaminhadas? O que pode nos adiantar quanto a isso.
Lander: Já temos 3 novas faixas demo disponíveis em nosso soundcloud, para esta nova fase procuramos mesclar um pouco de influências de bandas e ritmos do Brasil, pois a pretensão é viajar e dar continuidade ao nosso trabalho na Europa, eu já estou estabelecido na Itália há 3 meses, e pretendo fazer importantes contatos aqui, como grandes bandas do Brasil já conseguiram.

HMAN: Em 2014 a banda fez quatro apresentações pela Argentina. Apesar de breve contato e conhecendo a realidade do underground brasileiro, como você avalia o cenário argentino?
Lander: O cenário Argentino é forte e em grande número, o público é bem acolhedor, compram material das bandas e conversam, fazem perguntas aos músicos, semelhante a muitos lugares do Brasil, porém ainda falta profissionalismo por parte de alguns promotores de shows, semelhanças que podemos ver aqui no Brasil também.

HMAN: Atualmente você reside na Itália, qual o objetivo dessa mudança? Você tem planos de levar a banda? Seria definitiva?
Lander: Esta mudança tem um objetivo pessoal, que é de tornar-se cidadão europeu por direito de descendência e o objetivo de profissionalizar a banda na Europa, estabelecer contatos, melhores oportunidades e se possível viver do Metal, o sonho de toda a banda, acredito que nada é definitivo, mas pretendo ficar um longo tempo aqui e trazer a banda, já estamos planejando isso.

HMAN: Quais os planos para o futuro da banda? Aproveito e deixo um espaço para as suas considerações finais!
Lander: Nossos objetivos são profissionalizar a banda, conseguir bons contatos e fazer o melhor possível sempre, buscando inovação para nosso trabalho.
Agradeço a oportunidade de responder esta entrevista e obrigado aos fãs e amigos que sempre apoiaram a The Sceptic ao longo da nossa história.



Links Relacionados
https://soundcloud.com/the-sceptic-1

por Artur Azeredo

Nenhum comentário:

Postar um comentário