segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Swords At Hymns Amenizando os males

Andre Lazzarotto (guitar) - Mateus Perotti (drums) - Leonardo Goulart (Vocal,bass) - Maicon Ristow (Vocal,guitar,keyboards)
A banda teve seu inicio em 2012 na cidade de Caxias do Sul, fundada pelo guitarrista/vocalista Maicon Ristow. No começo era executado um som mais voltado ao Epic Black Metal, que logo em seguida passou também pelo Doom e Death Metal Melódico. Em 2013 lançou um single e um EP, e agora está nos acertos finais para o lançamento do primeiro full lenght.

HMAN: Saudações Maicon! Agradeço pela sua boa vontade em ceder esta entrevista em nome da Swords At Hymns. Para dar inicio, eu gostaria que você contasse um pouco sobre como surgiu a banda, e como tem sido a caminhada até hoje.

Maicon Ristow: Eu que agradeço pela oportunidade de mais uma vez falar aqui no Heavy Metal All Night!
A SAH surgiu oficialmente em 2012, quando gravamos nosso primeiro som, o single “The only end to a brave”. Mas a idéia inicial é bem mais antiga, desde meados de 2005 eu já vinha escrevendo, compondo e idealizando tudo paralelamente às minhas outras bandas e projetos.
De 2012 pra cá muitas coisas legais aconteceram. Após o single, gravamos o EP “My freedom... Forgotten in a gray dimness”, em 2013, lançado no Brasil pela extinta Cianeto Discos, e na Rússia pela GS Productions. Em 2014 fizemos nosso primeiro show, na terceira edição do festival “...From The Shadows”, em São Leopoldo, ao lado de grandes bandas. Atualmente estamos prestes a lançar o nosso primeiro full lenght, intitulado “Autumnal Introspections”, pela parceria entre as gravadoras Sulphur Rec e Wolves Cursed Rec.

HMAN: No principio, a Swords At Hymns se tratava de uma one man band, como surgiu à idéia de adicionar outros músicos? 

Maicon: Foi algo bem natural. Anterior ao nascimento da SAH eu já havia esboçado algumas ideias com o Mateus Perotti (baterista). Logo depois convidei o Leornado Goulart (baixo e vocal) para fazer alguns ensaios, e a coisa começou a andar. Então a SAH nunca chegou a ser uma one-mand-band de fato porque desde o primeiro registro, o que considero como o nascimento de uma banda, o Leonardo já participou das gravações, e em seguida contribuindo com letras. Logo sentimos a necessidade de outro guitarrista para possíveis shows, então convidamos o André Lazzarotto.

HMAN: Desde o começo, o conteúdo lírico da banda se baseia bastante na natureza, na misantropia e no inverno. De onde surge tanta inspiração para compor com esses temas e abordá-los de uma tão forma filosófica?

Maicon: Misantropia é um tema bem clichê dentro do metal “obscuro”. Talvez dos três temas citados esse seja o mais sincero que abordamos. Não forçamos nada, não tentamos pagar de true, anti-sociais, e nada disso. Nas letras, escritas pelo Leonardo e por mim, somos personagens, fantasiamos contos e cenários, relatamos coisas que não vivenciamos, ou gostaríamos de vivenciar, mas a verdade é que fora das letras também nos rendemos ao inevitável comportamento de manada, temos trabalho, temos família, pagamos impostos, andamos de ônibus, fingimos “oi, tudo bem” e muitas outras mini-hipocrisias necessárias para o funcionamento do convivo social. Mas com o tempo e a vivencia essas coisas acabam corroendo a mente de qualquer pensante, e ai entra a arte e sua principal característica; amenizar os males da vida. Como nossa música já tem esse clima melancólico, dramático e pesado o tema caiu como uma luva. E falar sobre natureza e inverno é só uma consequência disso. No inverno as coisas se aquietam, o convívio social é mais produtivo, as pessoas ficam mais introspectivas e as paisagens mais inspiradoras. Se não tivéssemos esses meses frios como inspiração acho que não haveria a SAH. Não me imagino escrevendo músicas tendo como inspiração verão, praia, alegria... hehe

HMAN: Recentemente vocês divulgaram uma faixa do vindouro “Autumnal Introspections”, o single “Return To Ashes” traz a velha essência do Black Metal, mas soa um pouco mais melódico que os trabalhados anteriores, então o que você pode adiantar sobre o novo álbum? O que o público pode esperar do “Autumnal Introspections”?

Maicon: O álbum todo está um pouco mais melódico que os anteriores, em especial a música “Return to Ashes”, mas em contrapartida tentamos produzir algo mais cru, um som mais orgânico e direto, que lembra sim uma produção estilo Black Metal. Acho que o público pode esperar uma evolução considerável em todos os aspectos, musicalidade, letras, produção... Tudo está mais maduro, simples e consistente!

HMAN: Mesmo a Swords At Hymns tendo uma sonoridade própria, cada músico tem as suas inspirações na hora de compor uma música. Quais bandas você destacaria como inspiração da banda na hora de produzir? Aproveitando essa pergunta, há bandas da região Sul que vocês apreciam o som? Caso, sim, cite-nos algumas.

Maicon: As referencias musicais vem principalmente de Black Metal e seus derivados, também Death Metal melódico “swedish death metal”, Doom e Dark Metal, e sempre há espaço para experimentar novos elementos, como Neofolk e Post Metal. Acho que os principais nomes são Bathory, Dissection, Amorphis, Agalloch, Empyrium, Immortal, My dying Bride...
Na região sul, assim como no Brasil todo, existem várias bandas que gosto muito, como Symphony Draconis, Desperate Cornes, Spell Forest, Warforged, Patria. Inclusive, o amigo e vocalista do Patria, Fernando Troian, canta uma música no “Autumnal Introspetions”, chamada “Beyond This Tombstone”. Foi uma parceria super legal!

HMAN: Swords At Hymns, de surgiu a idéia deste nome e o que ele representa?

Maicon: O nome surgiu pouco antes da gravação do primeiro single. Na verdade, Swords At Hymns era o nome provisório da letra do single, mas achei a fonética tão legal e marcante, duas palavras fortes e simples, que acabou ficando o nome do, até então, projeto. E como espadas e hinos são duas coisas presentes em praticamente todos os lugares e culturas, acho que ficou algo universal.

HMAN: A internet sem dúvida é o maior meio de comunicação da atualidade, qual o lado positivo e o negativo disso para a banda?

Maicon: É inegável que a internet, e o MP3 (que costumo chamar de panfleto sonoro), facilitaram muito as coisas no underground, mesmo que muitos ainda tentem inutilmente resistir. O acesso a informação é infinitamente mais fácil. A troca de materiais, que antigamente demorava meses e custava caro, tornou-se uma coisa instantânea e gratuita. A facilidade de conhecer bandas novas é algo fascinante, antigamente só era possível conhecer bandas novas através de revistas ou catálogos, hoje a própria banda vem até você. Então conhecendo mais bandas, lojas online e a facilidade de importar material, hoje eu compro muito mais CD’s que quando não tinha acesso a internet, e melhor, compro já sabendo se vou gostar. E por esse motivo sempre disponibilizamos gratuitamente nossos materiais em MP3.
Mas há sim um lado ruim. A facilidade do MP3, normalmente ainda em baixa qualidade, tornou a música uma coisa meio descartável e os fãs preguiçosos. Baixa-se muito e aprecia-se pouco. A música já não é tão cultuada como antigamente, dos novos ouvintes poucos conservam aquele ritual de por o disco para rodar enquanto “viaja” na capa e acompanha as letras no encarte. Isso era é uma coisa que fazia parte da fantasia do heavy metal tanto quando a distorção das guitarras. Fico feliz que de um jeito ou de outro o metal, e muitas outras formas de arte, chegue mais facilmente a todos, mas para mim, ouvir música em 120kbps e ainda sem o complemento da arte é muito raso comparado a quão profunda e expressiva a arte do heavy metal é. 

HMAN: Conversamos sobre um vídeo oficial que está por vir, o que você pode adiantar sobre isso?

Maicon: Estamos empolgados com a ideia! Agora estamos acertando os detalhes finais da produção, que será feita pelo amigo e cineasta Thiago Beckenkamp. Será filmado no começo de Setembro, aqui em Caxias do Sul mesmo. Ainda sem previsão de lançamento.

HMAN: Mais uma vez, agradeço a entrevista e deixo aqui o espaço para as suas considerações finais e claro, deixo o contato da banda. 

Maicon: Eu que agradeço pela oportunidade de compartilhar um pouco mais sobre nossas idéias! A todos, fãs, imprensa e amigos, muitíssimo obrigado pelo apoio de sempre! Um forte abraço!




Links Relacionados
www.facebook.com/SwordsAtHymns
swordsathymnsofficial@gmail.com

por Bryan Batista 

Nenhum comentário:

Postar um comentário