sexta-feira, 1 de maio de 2015

Left Hand no caminho...


Formada em 2008 a Left Hand segue uma linha Thrash Metal com fortes influencias da sonoridade da década de 90. A banda lançou dois EP’s até o momento, o seu mais recente registro é “Scientifical Plague” lançado em 2013.

HMAN: Como surgiu a Left Hand? O nome tem alguma ligação teológica ou é apenas um nome?

Rafael Souza: caminho da Mão Esquerda é a denominação dada a práticas religiosas e filosóficas na Índia que possuem em comum o fato de não se prenderem a dogmas, abraçarem o mundano, o profano e a sexualidade. O nome da banda foi inspirado nisso, devido a um interesse por esta proposta filosófica.

HMAN: Logo em 2008 vocês lançaram um EP, como foi produzir esse trabalho? Vocês tinham experiência? O que esse trabalho representa para a banda?

Rafael: Tínhamos experiência com bandas anteriores, mas enquanto banda, a Left Hand ainda tinha muita estrada pela frente. Foi nosso primeiro ano de banda, a proposta musical ainda não estava muito bem definida, mas é o registro de nossa fase inicial e nos abriu muitas portas.

HMAN: Em 2012 vocês entraram no Studio Mrs. Som em São Paulo para a gravação do EP “Scientifical Plague”. Como foi trabalhar com Heros Trench e Marcello Pompeu?

Rafael: Aprendemos muita coisa com eles, tanto com as dicas, quanto com “o poder da observação” (risos). Sem duvida uma grande experiência.

HMAN: Como foi compor para “Scientifical Plague”? Como funciona esse processo dentro da banda?

Rafael: Quando entrei a maioria das musicas estavam prontas, geralmente o Hugo chega com o esqueleto, dai lapidamos, e o João insere as letras, aí finalmente damos aquele toque final com detalhes, solos e etc. Os temas geralmente abordam algo que esta no dia a dia do ser humano, ou alguma historia ou situação que esta acontecendo ou aconteceu conosco ou com alguém.

HMAN: “Scientifical Plague” rendeu três vídeos clipes, como surgiu essa ideia? E por que optaram por tantos vídeos? E como chegaram até o selo Wikimetal?

Rafael: Sempre pesquisamos muito antes de produzir alguma coisa, hoje em dia o audiovisual é novo EP, é mais fácil mostrar o trabalho assim principalmente quando não se tem um full-lengh. Quanto à Wikimetal, estávamos confraternizando em uma noite e resolvemos mandar um e-mail com o velho pensamento do “vai que cola” e acabou dando certo (risos). Foi ótimo, ficamos muito felizes com isso.

HMAN: Vocês já estão compondo para o full-lenght, já tem algo encaminhado? O que podem nos adiantar?

Rafael: Estamos com material novo e compondo mais. Só não sei em que formato que vamos lançar, pra uma banda independente é um movimento que tem que ser bem pensado.

HMAN: O Brasil vive um bom momento na cena underground, como você vee este atual momento do Metal brasileiro?

Rafael: A quantidade de bandas de qualidade só aumenta, acho que tudo da certo quando todos se respeitam, quando há respeito há união e isso é muito positivo tanto para a banda, quanto para produtores e para o público.

HMAN: O quem vem pela frente em 2015, quais os planos para o futuro da banda?

Rafael: Nossa vontade é lançar material novo e espalhar nossas apresentações por lugares cada vez mais distantes.


HMAN: Deixo aqui um espaço para as considerações finais!

Rafael: Gostaria de agradecer o espaço cedido pela Heavy Metal All Nigth, obrigado pela oportunidade. Quem se interessar e quiser saber mais sobre nós e nosso material, clipes, merchandise e etc pode acessar nossos links.
E aos produtores interessados a nos levar pra sua cidade é só nos chamar diretamente nas redes, ou enviar um e-mail para contato@lefthand.com.br



Links Relacionados

por Artur Azeredo

Nenhum comentário:

Postar um comentário