quinta-feira, 23 de abril de 2015

Torture Squad mais vivo do que nunca!

O Torture Squad surgiu em 1989, mas só em 1993 se firmou com uma formação e gravou seu primeiro registro a demo “A Soul in Hell”. Em 2013, 20 anos depois a banda chega ao seu sétimo trabalho de estúdio “Esquadrão da Tortura”.


HMAN: O Torture Squad já passou por diversas formações, mas “Esquadrão da Tortura” foi o primeiro disco a ser gravado como Power Trio. Como foi compor e trabalhar com essa formação em “Esquadrão da Tortura”?

Castor: O processo de composição sempre foi o mesmo de sempre, alguém aparece com uma idéia ou estrutura de uma musica feita e vamos trabalhando em cima até que fique pronto. Que diferenciou agora nessa atual formação são os trabalhos das vozes que agora existe a voz principal do André que tem a característica mais rasgada , e eu também estou dividindo os vocais com partes guturais , mantendo as nossas características. E está sendo algo novo pra nós e que estamos curtindo bastante!

HMAN: Como surgiu a ideia de trabalhar a temática da Ditadura Militar neste trabalho? E porque cantar em português?

Castor: A ideia do conceito do álbum ainda quando a banda ainda era um quarteto. Curtimos demais a ideia, pois foi um período muito importante e que, algumas  pessoas  ainda tem o conhecimento muito superficial sobre esse assunto.  E também algo inédito na nossa carreira, compor um álbum completo sobre um tema. Então começamos a pesquisar e nos aprofundar  e trabalhar o assunto  no nosso album. Também, conversamos com o historiador Alexandre Rossi e o escritor Roniwalter Jatobá que nos deram uma grande orientação, assim como  alguns documentários na internet, reportagens, filmes, etc...

HMAN: Em 2014 a banda fez uma tour de divulgação do recente lançamento, chamada Tortura na Estrada percorreu o país.  Em 2015 a banda foi Headliner da tour Master of Monsters. Como foi esses dois últimos anos do Torture Squad em termos de shows e estrada?

Castor: Foi muito positivo e produtivo até agora! No ano passado  fizemos a nossa segunda turnê sul americana , passando por 4 países. O Torture Squad  está mais vivo do que nunca!

Amilcar
HMAN: Após o retorno da banda por mais um giro na Europa, em Março de 2012, o então vocalista, Vitor Rodrigues, deixa a banda, depois de 19 anos como vocalista do Torture Squad. Porque o Vitor deixou a banda tão repentinamente? Como ocorreu esse desligamento?

Castor: Bem, ele chegou um dia no nosso estúdio de ensaio decidindo sair da banda e seguir um outro caminho na vida dele, praticamente foi assim.

HMAN: Qual foi o saldo de “Esquadrão da Tortura”? Como você vê esse trabalho?

Castor: Só vejo e ouço coisas positivas sobre o álbum. Pra mim ,o Esquadrão de Tortura  é um dos mais importantes álbuns da banda! Vejo ele como um divisor de águas em nossa carreira!

André
HMAN: Como surgiu a ideia de gravar o show no dia 20/12 no Blackmore Rock Bar, em São Paulo para o DVD “Coup D’etat Live”?

Castor: Queriamos muito registrar a nova fase da banda e achamos que esse seria o melhor momento pra isso.

HMAN: O que podemos esperar para o próximo lançamento do Torture Squad? Vem mais um disco conceitual? O que podem nos adiantar?

Castor: Estamos compondo e juntando material já pro próximo álbum. Já tem muita coisa pronta! Podemos dizer que ele terá um direcionamento  a nossa realidade, ensinamentos da vida, etc...

Castor
HMAN: O Torture Squad é conhecido por diversas tours pela Europa. Existem planos para alguns giro futuro pelo velho continente? Quais os planos da banda para 2015?

Castor: Pra esse ano temos planos de uma segunda turnê sula americana e outra abrangendo o todo o território brasileiro. A Europa pra esse ano ainda não está nos planejamentos.

HMAN: Deixo aqui um espaço para as considerações finais! Desde já agradeço a atenção!

Castor:  Gostaria de  agradecer a vocês do Heavy Metal All Night pelo apoio e espaço aqui cedido ao Torture Squad poder divulgar mais o trabalho!

Pessoas como vocês que nos ajuda a divulgar  ainda mais o nosso trabalho e mantém a nossa cena ativa também!



Links Relacionados

por Artur Azeredo

Nenhum comentário:

Postar um comentário