sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Southern Warfront Espalhando o caos e a guerra

Horda gaúcha fundada em 2003 com o nome de Storm Division, em 2005 passa a chamar se WarFront. No entanto em 2007  ocorre uma nova mudança de nome, agora para Southern Warfront. Depois de inúmeras demos a banda lançou em 2014 o seu segundo EP intitulado “Storm Division”. Atualmente a horda é composta por Executioner(Vocals e Guitar),  Lord Volk(Guitar), Necroterrror(Bass), J. Fritzen(Drummer).


HMAN: Como surgiu a Southern Warfront? E por que as consecutivas mudanças de nome?

S.W.F.: A Southern Warfront surgiu em 2003 por mim ( Lord Volk ) e mais um guerreiro que ficou na horda até inicio de 2005 , voltando a horda em 2006 até metade de 2007, a proposta sempre foi fazer War Black Metal desde o Inicio. Storm Division foi um nome provisório de 2003 a 2005 quando a horda atualizou seu nome para Warfront. Logo em seguida mudamos para Southern Warfront pois  já havia duas bandas com o mesmo nome no mundo,  então foi decidido  colocar Southern Warfront para não ficar cópia de ninguém.

A horda chegou a deixar algum registro quando ainda se chamava Storm Division?

S.W.F.: Não, foram compostas as musicas, mas quando foi lançado o primeiro material já foi como Warfront.

Sob o nome de Warfront a horda lançou algumas demos, como você vê esse material? Vocês pensam em relançar algo?

S.W.F.: Sim, foram lançadas 3 demos, Die or March, With our Arm e Command War. A primeira demo chegou a ser  relançada na Australia em 333 cópias, e também foi feita uma compilação das 3 demos juntas por um selo do Rio de Janeiro que acabou se chamando Attack of South, mas já com o nome atual da banda ¨Southern Warfront ¨.

Como foi compor para o EP “Storm Division”? Como funciona esse processo dentro da horda?

S.W.F.:  O método de composição é simples, todos opinam na hora de compor algo. Sempre chega alguém com uma musica pronta ou riffs e através disso a gente vai melhorando até chegar  no ponto que desejamos, até a musica não estiver 100% por todos os membros a gente não finaliza ela.

Em 2014 a horda tocou em Montevideo no Uruguai, como foi essa experiência? Como foi o contato com a cena?

S.W.F.:  Foi muito bom tocar por lá, foi algo diferente , publico diferente. E sempre bom poder mostrar seu trabalho para outros lugares, foi praticamente o show de lançamento do cd Storm Division em Montevidéu, conseguimos  deixar  e expressar muito bem nossos sentimentos de ódio para os Uruguaios , espero poder voltar em breve por lá. Eu já tinha o contato do organizador e foi ali que ele se interessou pela Southern Warfront, quando ele fez a proposta nós fechamos na hora.

Vocês usam muitos temas regionalistas nas suas composições, a própria cultura Gaúcha proporciona isso. Como surgiu a ideia de usar esses temas?

S.W.F.: Sim, temos na verdade uma música que se chama Campos Sulistas e relata uma verdadeira história do que aconteceu nos tempos dos farrapos em nossa terra. Todo mundo sabe que o RS é muito forte em tradicionalismo, já saímos do berço com as tradições que tem aqui no nosso estado, então isso já veio junto no sangue.

A temática antirreligiosa é latente dentro da horda, como você vê essa ascensão de algumas religiões na sociedade atual?

S.W.F.:  E tenha certeza que o tema mais forte em nossas letras sempre vai ser o anti-cristianismo ( e todas religiões  ) pois para nós é essa a principal escória que vamos lutar contra, até o final. Existe muito fanatismo em varias religiões, como acontece no oriente médio hoje, mas quero mais que o cu dessas pessoas peguem fogo, conforme mais guerras mais rápido eles morrem e mais rápido somem esses lixos da sociedade. Religião para mim nem deveria existir, serve para manipular a maioria do povo, que posso distingui como um povo hipócrita e alienado por uma farsa, uma verdadeira mentira que surgiu para ganhar dinheiro.

Como você vê o atual momento do Metal brasileiro sendo saturado por grandes show de bandas de fora?

S.W.F.:  Sou fã de muitas bandas lá fora, mas isso é ruim ao mesmo tempo para quem tem bandas aqui no nosso país. Aqui tem muita bandas fudidas, mas não conseguem espalhar muito seu trabalho ou chegar a nível europeu em relação a shows , clips e algo mais, por certa discriminação ainda que o brasileiro tem  com as bandas nacionais, sem apoio nossas bandas não vão muito tempo para a frente. Você vai abrir um show de alguma banda de fora, tenha certeza que seu  equipamento vai ser inferior  a da banda gringa ( em 90% dos casos ) sabendo sua banda poderia ou é melhor que a tal banda de fora, ainda tem essa falta de atitude também. Eu sou fã sim de bandas de fora mas sei muito bem apoiar os dois lados, caso que  muitos não fazem aqui . A única coisa que deveríamos ter é um pouco mais de valor para nosso país, shows underground custam 15 reais e não da 100 pessoas alem de ver 4 a 5 bandas, shows gringos se paga 100 reais lota e no máximo duas horas de shows, então são essas coisa que muitos deveriam rever, existem bandas no Brasil que valem mesmo a pena ver !

Quais os planos da Southern Warfront para 2015?

S.W.F.: Espalhar o caos, guerra, terrorismo e anti-cristianismo pelo mundo. Estamos trabalhando em novas musicas para talvez no começo de 2016 sair um novo cd da banda, alem é claro de continuar fazendo os shows que a banda faz anualmente. 

Deixo aqui um espaço para as suas considerações finais!

S.W.F.: Eu agradeço pelo espaço cedido e pelo apoio ao fazer essa entrevista. A quem quiser conhecer melhor a banda, shows, ou adquirir materiais ,entre em contato pelos nosso e-mail e facebook, agradecemos a todos que sempre nos apoiaram. This is War! Fucking...


Links Relacionados
warfront@bol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário