terça-feira, 21 de outubro de 2014

Diabolus Fest: uma noite memorável em Júlio de Castilhos

Na noite do ultimo sábado, dia 18 de outubro, Júlio de Castilhos sofreu com um dos maiores temporais já registrados na região. Coincidentemente na mesma noite o Diabolus Fest também causava "estragos", nos tímpanos dos headbangers locais! Em sua primeira edição o festival mostrou que veio para ficar, mesmo sem luz, e com um plano B apostos todas as bandas puderam tocar.


 Próximo das 22 horas, o bar Beer House veio abaixo, e teve inicio o evento com a Human Plague abrindo os trabalhos, mesmo sem seu vocalista André, que não pode se fazer presente. Devido essa ausência, Cássio, baixista da banda, desempenhou a função dos vocais com bravura. Na sequência a Dyingbreed subiu ao palco, e mostrou toda a sua eficiência sonora. Trazendo algumas faixas que estarão novo disco “Workship no one”, e da demo “Killing the image of your god” e mais dois covers, fez cabeças rolarem, e rodas de mosh se abrirem em frente ao palco.

Não demorou e a Postmortem despejou seu Death Metal com muita energia. Mostrando um repertorio bem variado, mesclando musicas do mais recente trabalho o EP “Within the Carcass”, e de trabalhos anteriores como “Atra Mors”, a banda rapidamente ganhou o publico. Quando a Mithrubick, destilou o primeiro riff, os banger locais ficaram estáticos, devido ao tamanho da tijolada, um Death/Grind de primeira. Assimilado o choque, os moshs voltaram e a desgraceira rolou, até a luz acabar, e um temporal literalmente varrer a cidade.

Dentro do pub mal dava pra ter ideia dos estragos e o que se via era um vento forte, e muita chuva, mas os prejuízos foram enormes para a cidade. Arvores foram arrancadas pela raiz, vidros estouraram, postes vieram abaixo, mas nada deteve o Diabolus Fest! No Beer House, nada aconteceu: um gerador previamente acionado sanou a falta de luz e a Mithrubick pôde encerrar a sua apresentação. Devido à oscilação de energia um dos cubos de guitarra passou a se desligar, o que prejudicou a apresentação da Torvo. Mas se o cubo faltou, empolgação por parte de publico e banda, sobraram. Destilando com maestria, alguns covers de Pantera, para delírio dos bangers, e algumas faixas autorais, literalmente ganharam o publico.


Com certeza uma grande celebração ao underground, saldo positivo, mesmo com a falta de luz deixando claro o comprometimento e iniciativa, para com a cena. Assim o Diabolus Fest vai ficar marcado, como a noite que Júlio de Castilhos literalmente veio abaixo, seja pelo vendaval ou pelo evento, e quem não foi, lamento, mas perdeu um evento HISTÓRICO. 



Links Relacionados


fotos Caroline Moro Ruis Dias
por Artur de Azeredo