sexta-feira, 2 de maio de 2014

Suffocation of Soul


Que o Thrash Metal no Brasil é um estilo muito forte e cultuado entre os Bangers isso é fato há algum tempo, talvez tenha culminado com uma onda de surgimento de excelentes bandas dentro do estilo. Algumas bandas buscam uma sonoridade mais agressiva próxima ao Death Metal, outras bebem de fontes mais antigas, resgatando as raízes do Thrash Metal e adicionando suas influencias, com uma boa dose de Heavy Metal tradicional. É isso que me chama a atenção no Suffocation of Soul, a capacidade de aliar tudo isso a um Thrash Metal de muita competência.

O Suffocation of Soul é uma banda de Thrash Metal, oriunda de Poções - Bahia e está há sete anos na estrada. Possui um Cd-Demo e um EP, e acabaram de lançar o Debut Album – The First Attack, em fevereiro de 2014.

 O grupo foi formado em 2006, por quatro jovens sedentos por Heavy metal,
com o propósito de fazer musica pesada no interior da Bahia. A formação inicial contava com Tarcisio Correia (Guitarra), Márlon Pacheco (Bateria), André Costa (Baixo e vocal), e o guitarrista Higgor Sampaio que participou de alguns shows e saiu no ano seguinte.
Em 2008 a banda resolve dar um grande passo em suas atividades e passa a investir na música autoral. Em setembro do mesmo ano é iniciado o processo de gravação do Cd-Demo, intitulado “DEMONIAC EMPIRE” que possui quatro músicas. Eis que o Line-up fica completo após as gravações com o ingresso de Mauricio Souza (Guitarra).
 A repercussão do “Demoniac Empire” projeta definitivamente a banda no cenário metálico baiano participando dos principais eventos no Estado. Colhendo frutos ainda do cd Demo, o Suffocation of Soul participa de diversas “compilations” dentre elas a “Wings of Blood” (Guilhotine Records) que contem 15 bandas, sendo elas do Brasil, Portugal e México tendo distribuição em toda Europa.
Em 2012, o grupo faz uma nova pausa nos shows para a produção do EP "THE LAST WAY OF MADNESS", lançado pelos selos: "Insulto Prod" (SE), "Underground Distro" (AM) este que recebeu boas críticas da mídia especializada, mostrando uma banda ainda mais profissional e madura, o que rendeu mais convites para shows.
 O ano de 2014 começa a todo vapor, pois foi lançado o aguardado “The First Attack” debut álbum que saiu em uma verdadeira união entre os selos Insulto(SE), Kill Again(DF), Music Reunion(RJ), Violent Recods(SP),  Guillotine (BA), Desgraça na Terra (ES), Terceiro Mundo Chaos (PR), Rock Animal(RS) e Guerrilha (BA). A capa do disco foi criada pelo artista Edson Graseffi e a mixagem está a cargo de Leonardo Pagani (Unearthy, Mysteris, Sodomizer, Grave Desecrator). Apostando todas as fichas no novo CD, o grupo já começou a fazer shows de divulgação deste álbum e prepara ainda para 2014 uma turnê nacional.


Formação atual da banda:

André Gonçalves (Baixo/Vocal)
Tarcisio Correia (Guitarra)
Mauricio Souza (Guitarra)
Marlon Pacheco (Bateria)

Conversamos com Tarcísio Correia e André Costa, guitarrista e baixista respectivamente, que nos contaram um pouco da trajetória do Suffocation of Soul e o que vem por ai com o “ The First Attack” Confiram!

Conte-nos um pouco como surgiu e se consolidou o Suffocation of Soul, quem deu o primeiro passo?

Tarcísio: Antes de tudo, agradeço o fodido espaço cedido pelo HMAN! A banda surgiu sem muita pretensões, éramos garotos de faixa etária entre 16/17 anos e queríamos tocar thrash metal. Como um sonho comum de adolescentes eu e Higgor estudávamos no mesmo colégio e decidimos montar a banda juntos. Logo e seguida convidamos Márlon e André pra completar o time.

Sabemos que o underground no Brasil não é pra qualquer banda, tem que dar duro, como foi o inicio até a primeira demo, as dificuldades da cena na Bahia?

Tarcísio: Como eu disse, no início ainda estávamos entendendo como funcionava uma banda, nosso repertório era quase 90% cover, estávamos bem verdes. Começamos a levar a coisa sério mesmo quando gravamos a primeira demo em 2008.
Andre: Aqui na Bahia a cena tem suas peculiaridades, mas as dificuldades são as mesmas, acho que de todas as cenas do Brasil. As coisas por aqui estão caminhando,  tem rolado muitos shows muitas bandas, distros, produtoras de shows tem aparecido. Tem uma galera unida, outras nem tanto, uns que enxergam isso como uma competição, outros não. Mas no geral tá legal.

Em termos de influencias quais bandas você citaria como principais na sonoridade da Suffocation of Soul? Afinal essas, de certa forma moldaram o Thrash metal executado pela banda ou desde o inicio das atividades o intuito foi sempre esse som que traz muito do Heavy Metal clássico aliado à agressividade e velocidade do Thrash Metal oitentista?

André: As influências são muitas, ouvimos de Mercyfull fate a Terrorizer, muito metal tradicional, Hard Rock 70/80  muito metal Brasileiro, Punk, HC, sem restrições! Tudo que a gente ouve acaba sendo influência e se isso refletir no som é muito bom. Desde o começo da banda nunca enxergamos essas barreiras que separam os sub gêneros do Metal ou do Rock, pra mim não há problema algum ouvir Mayhem, Tankard, Grim Reaper, Verbal Abuse e logo depois um disco do Free. É tudo música pesada! Todos contribuíram e contribuem para que isso continue vivo e que o metal aconteça de todas formas.  Como entretenimento, como estilo de vida pra que continue contestando e sendo contestado, sendo incompreendido  amado e odiado.

Falando um pouco do novo trabalho, como ocorreu o processo de composição e gravação do “The First Attack”? Já estão mais familiarizados com estúdio ou é sempre uma nova aprendizagem?

Tarcísio: Cara, as composições ocorrem de uma forma bem natural, na maioria das vezes André traz as partes cantadas mais ou menos prontas e nós acrescentamos passagens e riffs, vamos juntando as opiniões de todos e quando menos espera finalizamos a música.  Gravar é sempre muito prazeroso. Mais uma vez tivemos que conciliar horas de trabalho/estudos/estúdio e acabamos muitas vezes gravando de madrugada. Chegamos a passar 11 horas seguidas gravando no mesmo dia. Cansativo, exaustivo mas extremamente prazeroso!
André: Acredito que é sempre uma experiência nova, o fato de estar gravando sons novos, registrando algo inédito, as vezes as composições são mais complexas ou tem formulas bem diferentes das que foram gravadas nos materiais anteriores, estúdios diferentes, equipamentos diferentes...somando essas e outras questões, cada gravação acaba sendo uma experiência única.


“The First Attack” foi lançado pela união de nove selos e distros de todo o território nacional, como chegaram até esses?

Tarcísio: Esta é mais uma grande conquista em torno deste material, pois a distribuição alcançará os quatro cantos do país. Pensamos em um esquema que ficasse vantajoso pra ambas as partes (selos/banda) e enviamos a proposta pra cerca de 70 selos/distros. Alguns responderam, outros não, vários fizeram contrapropostas e felizmente fechamos com 09 selos do nosso underground, e todos honraram respeitosamente com seus compromissos. São eles Insulto(SE), Kill Again(DF), Music Reunion(RJ), Violent Recods(SP)  Guillotine (BA), Desgraça na Terra (ES), Terceiro Mundo Chaos (PR), Rock Animal(RS) e Guerrilha (BA) uma verdadeira união metalica do submundo!
André: Pra mim essa forma de distribuição é a mais perfeita possível! Se mais bandas, selos e distros tiverem essa iniciativa, mais tantos outros bons lançamentos serão possíveis e isso de forma bastante viável pra todos os envolvidos. Acho que essa é a verdadeira língua do DIY sendo falada, sem demagogia.

Por intermédio do Selo/Distro Rock Animal acabei por divulgar o lançamento da capa do “The First Attack”, que é cheia de informações, qual o conceito por traz da capa, por que esse nome, o primeiro ataque, o que a Suffocation of Soul propõe com esse trabalho?

André: Cara, a letra da musica “The First Attack” eu escrevi pouco tempo depois de termos lançado a primeira demo, e achamos esse titulo legal pra quando lançássemos um full, esse não é o primeiro trampo  portanto não é o “primeiro ataque”mas com certeza é o que mostra de forma clara e segura a verdadeira onda do Suffocation of Soul, o trampo que tem um impacto maior que a demo e o EP. A letra narra um surto psicótico de um aficionado por armas de guerra, principalmente pelos gases venenosos como Zyclon B e Agente Laranja, assim ele saiu na noite com aquela velha mascara de gás espalhando “os ventos da morte” matando todos que estavam ao seu redor e entrando pra historia segundo a narrativa da letra haha. A capa retrata esse momento em que ele está começando o primeiro ataque em uma rua suja de alguma cidade por aí.

Tenho acompanhado as redes sociais da banda e vi que algumas músicas novas já foram divulgadas, como tem sido o retorno do público da banda até o momento?

André: A repercussão tem sido bem legal, embora o disco tenha saído a pouco tempo, temos recebido elogios dos quatro cantos dos pais até de quem ainda não tem o CD justamente por causa dessas musicas que estão disponíveis na rede
Redes socias, a banda costuma fazer uso desse meio de divulgação, qual sua opinião sobre o papel da internet no underground brasileiro?
Tarcísio: Usamos sim, afinal a internet hoje é sem dúvidas o principal meio de comunicação do mundo atual. Eficiente, “barata” e instantânea. Diria que quase todos os contatos da banda, nacionais e internacionais são feitos através de redes sociais e webmails. Apesar de toda banalização e idiotices que envolvem as RS, ainda tem muita gente que sabe usar de maneira consciente dessas ferramentas que podem ser fortes aliadas do underground. Inclusive esta entrevista foi concebida através da rede.

O que podemos esperar para 2014 do Suffocation of Soul, quais os planos da banda?

André: O Cd já foi lançado, agora os planos é tocar! Temos uma tour nacional marcada pra agosto desse ano, vamos lançar um SPLIT em fita K7 com outra banda Brasileira que em breve estaremos divulgando. Também esse ano vamos gravar um vídeo clipe com uma produção legal, um lance mais profissa.

Deixo aqui um espaço para a banda, fazer suas considerações finais!

André: Muito obrigado pelo espaço! Essa sua iniciativa é digna de todo respeito, que essas formas de comunicação do meio underground só se fortaleçam!!!
Tarcísio: Valeu a força meu caro! Esperamos tocar em terras sulistas ainda esse ano...Aos interessados, seguem nossos contatos:




Agradeço o interesse, atenção e disponibilidade da banda! Longa vida a Suffocation of Soul!



Stay Heay!


por Artur de Azeredo