quarta-feira, 19 de março de 2014

South Legion



Fico fascinado como algumas bandas conseguem, colocar a cultura local, os ritmos, as historias, dentro de um contesto metálico, formando algo único, ainda assim procurando manter a perspectiva, do Heavy Metal.
A banda South Legion, de Rio Grande-RS, trás essa marca regional na sua sonoridade, um Black Metal dos pampas, algo atmosférico, épico. Fundada em meados de 2007 por Christopher Abel, a banda sempre sofreu com uma instabilidade na formação, mas com a chegada de Wildy Souza que trouxe novas ideias, o regionalismo gaúcho ganhou força dentro da proposta da banda.
Após um ano de ensaios, escrevendo e projetando ambientações, a dupla sentiu-se preparada para um importante passo, gravar seu primeiro Full-Leght. “From The Spilled Blood” foi produzido por Roger Fingle, gravado no Estúdio Nitro e distribuído pela Cianeto Discos.

Sobre essa sonoridade única e o processo de composição e gravação de “From the Spilled Blood” conversamos com Christopher Abel.


Quando você iniciou os trabalhos com a South Legion, qual era a proposta inicial da banda?

Death Metal, não era nem de longe o que é hoje, eu buscava uma sonoridade mais crua. As letras atacavam diretamente a sociedade em que vivemos. Ouvi a vida toda música tradicionalista, mas nunca tinha pensado em fazer essa mescla entre os gêneros.

Como chegou até ao Wildy Souza? E como, esses ritmos regionais ganharam forma dentro da South Legion?

Wildy tocava em duas bandas, fizemos um show juntos certa vez e surgiu o convite através de um antigo membro da South Legion. Ele treinava bateria, acompanhando músicas tradicionalistas, e na época estávamos compondo para o primeiro álbum, resolvi fazer uns arranjos e pedi para ele criar algo em cima, ficou bueno, então escrevi a "Do verde se fez vermelho" e nos identificamos muito com o resultado, pois sabíamos que era algo verdadeiro no qual sentiríamos muito orgulho de mostrar a todos.

Já que são vocês dois na linha de frente, como ocorreu o processo de composição e produção?

Nós aproveitamos as passagens de criatividade para compor, nunca fazemos nada juntos, pois a arte em si não é algo programável, vem de cada um os momentos certos de inspiração. Escrevemos nossas ideias e então, vamos procurando encaixar em algo já feito.

Hoje com “From the Spilled Blood” em mãos, o primeiro registro, qual a sensação, o que passa pela cabeça de vocês? Já tinham experiência em estúdio?

Tchê, temos uma sensação de trabalho realizado, pois foram três anos para concluir esse projeto, no qual nos dedicamos muito. Cometemos alguns erros já que nunca tínhamos feito nada profissional como músicos. Mas o resultados foi algo muito bom graças a ajuda do Roger Fingle, que dês do inicio nos auxiliou para chegarmos em um resultado satisfatório.

A capa do disco com diz com a sonoridade!
Existe um conceito por trás de “From the Spilled Blood”, ou cada canção tem sua força?

Cada música abrange um conceito diferente, até porque certas letras foram criadas antes de abraçarmos a causa campeira. "Tango de La Muerte", por exemplo, fala da sociedade em que vivemos e "Will Come a Day" da chagada dos europeus nas Américas. Nós não nos prendemos a nenhuma formula, falamos sobre tradicionalismo, pois somos gaúchos e gostamos da onde viemos, então porque não falar disso. Nada nos impede de falar sobre o que quisermos.

Vendo o resultado final do álbum, vocês acreditam que chegaram a onde queriam em termos de sonoridade, e ambientações?

Sim, por ter essa preocupação com o resultado final que decidirmos trabalhar com o Estúdio Nitro, demoramos muito para compor esse álbum, estudamos cada detalhe e com a ajuda dos profissionais certos, podemos afirmar que o resultado é muito satisfatório.

Pra vocês qual a importância da internet, hoje dentro do underground gaúcho, o que seria da cena sem esse veiculo de comunicação?

Não apenas para o underground gaúcho, quanto para o mundo todo, é de extrema importância. A internet nos permite ter um acesso muito rápido a toda informação que precisamos no mundo da música. Antes disso era tudo muito lento, as pessoas aproveitavam mais o que tinham, mas a grande maioria não tinha acesso a nada. Infelizmente hoje a grande parte não sabe aproveitar, pois não da importância a maior parte das bandas novas, mas ai entram as assessorias, para auxiliar o trabalho de quem esta começando uma carreira artística.

Quais os planos para 2014 e o futuro da South Legion?

Bueno, queremos fazer uns shows para a gurizada, já temos ideias para próximos projetos, não pretendemos parar tão cedo de criar músicas nas quais nos identificamos.

Deixo aqui um espaço para as considerações finais da banda!


Tchê! Queremos agradecer a todos que estão nos apoiando, é esplendido ver que a gurizada aprecia algo que fizemos com tanta dedicação, gracias a todos! 

Ouçam na integra "From The Spilled Blood"


Agradeço ao Christopher, pela atenção e oportunidade de fazer esse trabalho!


Links Relacionados

Quem quiser adquirir o material da banda Cianeto Discos



Stay Heavy!



por Artur de Azeredo