sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

M-19





Mais uma banda originaria dos anos oitenta, nascida em meados de 1989 a M-19 tem como objetivo fazer um Thrash Metal intenso e agressivo, com influencias de bandas como Destruction, Kreator e Slayer.
Ainda em 89 a banda grava sua primeira demo-tape, “Manifest Of Sanity”, que teve ótima aceitação pelo publico. Em 1992, a M-19 participou da coletânea “Thrash, Heavy and Loud” com a música “Roots Of Wrath”. Em 1994 sai a segunda demo-tape, “When a Promisses is Broken”, que obteve excelente repercussão, o que rendeu uma participação na coletânea, “Garimpo”, com a faixa “Crying Out”, produzida pela gravadora Paradoxx, lançada em 1996.
Em 2000, a M-19 interrompe suas atividades, por tempo indeterminado. Após um hiato de 11 ano, a banda retorna aos ensaios no início de 2011. Após a composição de novas músicas, a banda inicia a gravação de seu full leght, que conterá 11 faixas, dentre as quais se destacam “Southern Brave”, “I Kill for God” e “171”.
Por intermédio da True Metal Press & Manegement o Wilmar (vocal/baixo) respondeu algumas perguntas. Conheçam um pouco mais da M-19!



Para começar vamos falar um pouco do novo álbum, como tem sido a aceitação das novas faixas?

O cd tem recebido ótimas críticas, tanto aqui no Brasil como no Exterior. Estamos muito felizes com o resultado do nosso trabalho.

 A belíssima arte da capa e o layout do website de vocês são de autoria do João Duarte (já fez trabalhos para Torture Squad, Metal Church, Angra, Phornax, Age Of Artemis e mais uma punhado de bandas!), como chegaram até ele? Tem um pitaco de vocês na produção da capa ou foi tudo idealizado pelo próprio João Duarte?

Realmente o João Duarte é um ótimo profissional. Chegamos até ele por intermédio de um amigo, o Maicon Leite que escreve para Roadie Crew e várias outras revistas. Na verdade a concepção da arte foi criada por nós. Queríamos transmitir a ideia da música que abre o cd, chamada Destructor, que tenta passar uma ideia de que a destruição é um processo inevitável da natureza. Então Destructor é a personificação da destruição, que foi descrita através da figura central da capa.

O João Duarte conseguiu captar a nossa ideia, fazendo um trabalho excelente, não só na capa, mas também no encarte e na contracapa. Acho que é uma das melhores capas que ele já fez. O João Duarte está de parabéns. Ainda bem que este trabalho foi realizado para nossa banda (risos), pois já tivemos alguns comentários de que a capa foi o que chamou a atenção de alguns para ouvir o nosso trabalho.





Falando em processo de produção, como esse processo ocorre dentro da M-19?

Eu chego com o esqueleto das músicas e das letras, que são compostas juntas. Não consigo criar uma música sem pensar no encaixe com a letra. É tudo meio junto. Depois pegamos este esqueleto e discutimos as músicas com o grupo todo, que sempre opina e contribui no fechamento da música.

Existe uma temática especifica por traz de “Mission: Destroy” ou cada letra tem sua temática, tem vida própria?

Mission: Destoy não é um disco conceitual. Contudo falamos em linhas gerais dos processos da vida e seus conflitos externos e internos.

A Banda nasceu em 1989 lançou varias demos e participou de algumas coletâneas, também estivaram um tempo parados, como tem sido esse retorno, qual a reação do publico mais próximos ao saber do retorno?

Na verdade a nossa volta, foi tudo meio que feito na “surdina”. Só fomos dizer que realmente voltamos depois de vários ensaios e da perspectiva da gravação do cd.

Com relação ao hiato que a banda passou, 11 anos, como decidiram que era hora de parar e como ocorreu o retorno?

A parada aconteceu pelos motivos comuns das interrupções das bandas de rock. O pessoal foi criando outras responsabilidades na vida e entendemos por encerrar as atividades. Mas sempre mantivemos contato, embora não tocássemos mais juntos. Em relação ao retorno, lembro que estava em casa, colocando minhas fitas cassetes gravadas fora e encontrei além das demo-tapes que foram produzidas, algumas gravações de ensaio. Então fui ouvir e achei que as músicas eram muito boas. Liguei para o Jr. e para Armani e resolvemos voltar. O guitarrista Marcos Aguilar tinha ido morar no exterior, resolvemos chamar o guitarrista da primeira formação, Iuri, e ele aceitou o nosso convite.

Fazendo um breve comparativo da cena quando vocês pararam e quando vocês retornaram a ativa, quais as principais diferenças? Esta mais fácil tocar agora, fazer o som de vocês, ou mais difícil?

Hoje em dia ter um bom instrumento e equipamentos ficou muito mais fácil. Naquela época ter um baixo de boa qualidade, por exemplo, era muito caro e fora das condições financeiras da maioria do pessoal. Hoje isto tudo é muito mais fácil e mais barato.

A web também é um grande espaço para a divulgação do trabalho. E isto é um fato muito positivo. Com duas semanas de lançamento do cd, recebemos contatos da Ucrânia e da Polônia e isto que nem enviamos material, foram os caras que nos acharam. Antes só poderíamos fazer isto através de carta e, com certeza, em duas semanas o cd nem teria chegado nestes lugares referidos. Acho que o público é mais ou menos o mesmo, até porque o público de heavy metal era e sempre será apaixonado pelas bandas e pelo som pesado. Não é moda como nos outros seguimentos da música. Por exemplo, eu gosto de Sabbath e Iron Maiden desde os meus 13 anos e nunca deixei de gostar. Naquela época tinha menos shows, mas havia mais público nas apresentações. Hoje, pela maior quantidade de shows, o público acabou se diluindo.

Com o lançamento desse trabalho a M-19 se firma mais uma vez na cena underground gaúcha. Quais os objetivos, planos da M-19 para 2014?

Nossos planos são, fazer muitos shows pelo Rio Grande Sul, Brasil e quem sabe América Latina. E iniciarmos a composição de novas músicas para o nosso próximo álbum.

Deixo aqui um espaço para algumas considerações finais da banda!

Agradecemos o espaço dado e parabenizamos o pessoal do Metal All Night pela dedicação ao Metal e agradecemos a todos os bangers, pela receptividade do nosso cd.

Keep your horns up!


Agradeço a atenção e a disponibilidade! Abraço!




Links da Banda





Stay Heavy!


por Artur de azeredo